Kombi

Amada por uns, odiada por outros. Ela marcou mesmo seu espaço.

A Série Prata marcou o encerramento da produção do motor arrefecido a ar da Volkswagen do Brasil.

A Kombi é o último modelo do mundo a utilizar a clássica e eficiente invenção do professor Porsche. No Brasil, o motor a ar estreou em 1953, montado nos primeiros Fusca em regime de CKD. Em setembro de 1957, ele equiparia a Kombi, que é reconhecida como um dos primeiros automóveis genuinamente “brasileiros” da história.

A cor “Prata Light Metálico” se destaca entre o normal, com vidros verdes, pára-brisa degradê, o acabamento “Cinza Cross”, setas direcionais com lentes brancas (cristal), lanternas fumês, desembaçador do vidro e logotipo “Kombi Série Prata” foram os presentes para a retirada do motor a ar dados pela VW.

brservidor.com

O motor 1.6 boxer 8V a gasolina (injeção eletrônica multipoint), de 1.584 cm3 e quatro cilindros contrapostos, desenvolve potência de 58 cv a 4.200 rpm (43Kw) e torque máximo de 11,3 kgfm a 2.600 giros.
A taxa de compressão se mantém neste motor em 7,5:1 dando a grande vida útil ao mesmo.

Sua relação de marchas no último modelo do motor foi :
1ª – 3,8 / 2ª – 2,06 / 3ª – 1,32 / 4ª – 0,88 / Ré – 3,88

O comprimento da kombi fica nos 4.505mm com largura 1.720mm, altura de 2.040mm e entre-eixos de 2.400 usando originalmente pneus 185/80 R 14 e levando de carga 1 tonelada.

Apesar de que alguns afirmam ser mais a montadora confirma a velocidade máxima de 120km/h com aceleração de 0 a 100 km/h em 26,1 segundos. O consumo final do motor a ar é de 8,3Km/l (PECO) declarados pela fábrica (7,8 cidade e 9,0 estrada).

Talvez seja o veículo com mais forma variadas de utilização (utilitário mesmo…).
Para lançar a linha Adidas Skateboarding foi usado um novo conceito de pop-up store (bastante usado no exterior, de uma loja colocada num ponto bacana de alguma cidade). Porém não foi uma simples loja, usaram uma Kombi modelo 1958.

Kombi da Adidas

Ela foi toda customizada para passear pelas ruas de São Paulo

Adidas Skateboarding

O novo motor é da família EA-111, (o mesmo dos 1,0 – de Gol e Fox – e 1,6 – Fox, Polo e Golf) O 1,4 é exclusivo dela no mercado nacional, porém sempre foi produzido com os demais em São carlos, interior paulista, e exportado com Fox e Polo Sedan para a Europa.

Kombi água

Com gasolina este 1,4 arrefecido a água desenvolve 78 cv a 4.800 rpm e tem torque máximo de 12,5 kgfm a 3.500 rpm. Com álcool, são 80 cv a 4.800 rpm e 12,7 kgfm a 3.500 rpm. Como não citei antes, lembro que o motor a ar com álcool chegava aos 67 cv.

Este novo motor e é dotado de acelerador eletrônico e a aceleração de 0 a 100 km/h caiu para 16,1 s com o 1,4 abastecido com álcool.
A velocidade máxima para 130 km/h.

Motor 1.4 kombi
A gasolina o consumo melhorou para 10,4 km/l. Na estradavai aos 11,8 km/l.
Com álcool, o total flex registra 7,1 km/l na cidade e 8,6 km/l na estrada.

Os mostradores do painel seguem a linha do Fox e Gol. Sua iluminação é em vermelho e branco, tem relógio digital e hodômetros total e parcial, também digitais.

Por final, só quem já dirigiu conhece a sensação de ter nas mãos, o veículo que ficou mais tempo em produção no nosso país.

About these ads
Comentários
  1. Jorge Costa disse:

    Coloquei um motor VW AP 2.000 (do Santana) na minha Kombi 1996, ficou ótimo. Passamos de 56cv para 121cv! Entre bancos do Meriva e outras alterações estamos indo bem. Parabéns pelo artigo!

  2. Jorge Costa, você fez mais alterações no motor AP para atingir os 121 cv ?

    Parabéns pelo feito, me interessei até em ver a sua kombi!
    Bancos do Meriva? Tenho que ver isto!

  3. jovani disse:

    preciso comprar uma injeção eletronica para colocar em minha tl,vc poderia me informar preço ou alguem que tenha?abraço

  4. Jorge Costa disse:

    Na verdade o motor AP 2.0 MI original tem 114cv eu troquei o filtro e o sistema de escape e “estimo” que esteja a 121cv. Contudo este não é meu objetivo final mas os 140cv. Para isso pretendo mudar o comando, as velas, remapear a injeção e balancear melhor o conjunto. Continuo fazendo mudanças na minha Kombi, na dianteira agora tenho poltronas do Audi A3 e na traseira o conjunto de bancos do Meriva, sendo que as poltronas individuais giram para trás, para que possa haver um “jogatina de baralho”. As rodas são do do Civic aro 16. Quanto a pergunta do Jovani no Mercado Livre há injeção eletrônica para VW a ar.

  5. Jorge Costa disse:

    Eu estou postando em minha página pessoal as modificações na minha Kombi caso queiram acompanhar.

  6. Jorge Costa disse:

    Basta clicar no meu nome para abrir a URL.

  7. gleisson disse:

    A única coisa que presta nessa nova kombi, é o motor 1.4 flex! porque a direção continua uma bosta! dura! porque não colocam uma direção hidraúlica ?

  8. gleisson como eu tenho uma acredito que temos que perguntar juntos à VW…

  9. fabio marchal disse:

    eu tenho uma tl ap 2.0 turbo,o sistema fica bem interessante e versatil,alem de ganhar mais potencia somente no original,se tem menos ruido interno dando mais conforto para os passageiros….adorei o artigos,esperamos mais melhorar na kombi com a adoçao de 5 marchas…talvez e vw faça…..abraços a todos !!

  10. fabio marchal com a adoção do novo motor ela praticamente exige isto, mas a montadora ainda não atendeu aos pedidos. Esperamos que ainda ocorra antes da troca do modelo.

  11. Ildo Nunes disse:

    ..gostaria de receber fotos e informações de como adptar um AP 1.8 na nova Kombi (Flex)?
    -Vale apena?
    ou eh melhora fazer esta mudança numa a ar?
    Pretendo trasformar num mini motorhome, pena q o diesel tenha dado errado..seria ótimo!!!!
    Aguardo

  12. Ildo Nunes é dezenas de vezes mais simples adaptar um motor AP 1.8 na kombi Flex:

    • Frente com radiador e a tubulação de metal por baixo do veículo.
    • Tirante da caixa com duplo trambulador facilitando adaptações (próximo a caixa).
    • Carroceria enrijecida de fábrica com para suportes do motor (e eles já está lá).
    • Espaço ao lado do motor.
    • Tanque de combustível e “parede corta-fogo) inclinados
    • Tampa sobre o motor para manutenção e adaptação.
    • Painel e circuito elétrico ampliados para uma nova injeção.

    Mas veja que uma adaptação é algo único e varia de acordo com o que se escolhe fazer. Mas alguns pontos não devem ser esquecidos e não posso deixai de citar:
    • É comum as tampas laterais do diferencial (caixa) apresentarem trincas nos mancais de rolamento usando um motor com maior torque. Existem tampas de aço (como da kombi diesel) já prontas para adaptação, mas nunca deixe de fazer uma boa regulagem pinhão-coroa (folga – profundidade – pré carga dos rolamentos da coroa).
    • É comum as homocinéticas (principalmente internas) apresentarem rumorosidade com mais facilidade.
    • A relação de transmissão, tanto nas marchas como no diferencial, não será adequada ao torque, potência e rotação do motor AP1800. Sendo assim você vai sentir que o carro “pede” mais uma marcha e tem a troca de marchas em rotações bem diferenciadas e amplas. Muitos resolvem isto parcialmente usando uma relação pinhão-coroa diferentes.
    • Os níveis de emissão para inspeção veicular de uma kombi flex são mais baixos do que um santana, logo é melhor que esta adaptação seja homologada em uma vistoria com alterações no documento. Fugir do uso de carburador é muito bom, mas isto se torna bem mais caro.
    • Não se esqueça de que mais peso do motor-home, junto a um motor com mais torque vão gerar necessidade de um sistema de freio melhor. Principalmente na dianteira e com uma boa adaptação das válvulas limítrofes traseiras (na saída do cilindro mestre).

    O grande problema que você deve enfrentar esta ligado a uma boa adaptação do volante do motor, visto que o tamanho do 1.4 é menor que o 1.8. Um flange muitas vezes resolve, mas deve se ter cuidado com a árvore primária da caixa (piloto). Soldar ali é loucura.

    Infelizmente não tenho fotos de ma adaptação assim.

  13. arley mendonça disse:

    eh pssivel adaptar motor e cambio de uma kombi motor de fox para uma kombi ano 94 ?

  14. arley mendonça como sempre digo, nada é completamente impossível em adaptações mecânicas. Mas tudo tem seu custo e o que vale é saber se o benefício será suficiente.

    Veja que a adaptação em um modelo 94 vai exigir:
    Chicote elétrico completo, tubos inferiores e mangueiras de arrefecimento, corte da frente, radiador e grade, suporte de câmbio, troca do varão da alavanca de marca com trambuladores, adaptação dos suporte de motor, corte da face superior ao motor para manutenção, motor e embreagem, painel, módulo de injeção, sistema de codificação da chave (módulo, antena e chaves) e mais alguns itens…

    Ocorre que algumas vezes uma pessoa tem amor ao veículo ou possui um modelo mais novo sinistrado. Nestes casos é de certa forma viável. Mas veja que é preciso uma inspeção do veículo e alteração do documento sempre que se executa estas adaptações, mesmo com mecânica original de um modelo mais novo.

    Uma boa opção é o próprio e valente motor a ar injetado, com menos emissão de poluentes, menor consumo e poucas alterações de documento (motor exige nota fiscal). E sem cortes na lataria do veículo, no caso do modelo 94 pode ser melhorar somente o sistema de arrefecimento do motor alterando o radiador de óleo. Mas mesmo neste caso vai precisar de alterar o chicote e inserir o sistema de codificação da chave.

    O que é muito comum e o uso de motores arrefecidos à água e carburados da linha VW. Tudo tem a ver com custo benefício. Em alguns orçamentos o proprietário acaba por optar pela troca do carro…

  15. lucas antonio disse:

    ola boa tarde goatei do site

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s